Arquivo do mês: abril 2008

Papo de Mulher – Futilidades Femininas no Canadá

 

Esses dias estava pensando em algumas futilidades que fazem parte do universo feminino e das quais não sabemos viver sem. Então me perguntei: como são essas coisas no Canadá? Que também tem tudo isso por lá, eu sei, mas a que preço? E será que é tão fácil de encontrar como aqui no Brasil? Andei pesquisando alguns lugares em Toronto, mas achei os valores absurdos e fiquei sem saber se o local era chique demas. Agradeceria se as brasileiras que moram no Canadá pudessem deixar suas respostas nos comentários com os valores aproximados destes serviços em suas cidades.

  • Manicure e pedicure – já ouvi dizer que nos EUA não se tiram as cutículas. Como é fazer as unhas no Canadá? Preço aqui em SCS – R$12,00 a R$15,00 a mão e R$15,00 a R$20,00 o pé (salões mais modestos)
  • Depilação com cera quente – sei que cada parte do corpo tem seu valor. Virilha, pernas, buço, axilas. Preço aqui em SCS – R$15,00 a R$40,00 (salões mais modestos).
  • Sobrancelhas – tirar sobrancelhas com pinça ou cera. Preço aqui em SCS – R$12,00 a R$20,00 (salões mais modestos).
  • Cabeleireiro – neste item há uma infinidade de serviços como corte, escova, tintura, luzes, reflexos, penteados e outros. Acho que os mais comuns são corte e escova. Preço aqui em SCS – R$20,00 a R$50,00 o corte feminino e R$20 a R$40.00 a escova (salões mais modestos).

Há também outras coisas que fazemos mais esporadicamente como drenagem linfática, massagens relaxantes, hidratações de pele e capilares. Eu sei que são coisinhas que dá para viver sem, mas se os valores forem acessíveis, será muito melhor!!! Afinal, acho dificílimo fazer o próprio pé, tirar a própria sobrancelha e fazer a própria escova, a não ser que se tenha cabelos curtos.  

Beijos

 

Anúncios
Categorias: Canadá, Futilidades | 33 Comentários

Voltei à estaca zero

Olá, pessoal! Depois de um tempão sem postar, estou de volta. Agora como uma legítima Mamãe. Após 3 meses e meio cuidando da Nicole, ela já dorme a noite toda e vai até meio-dia (graças a Deus!) e finalmente consigo me organizar para recomeçar a fazer minhas coisas e voltar à minha rotina.

Essa vida de mãe não é fácil. É um trabalho braçal danado, mas já não sei mais viver sem a minha baixinha. Parece que já vivo uma eternidade com ela. Como disse o Diniz no comentário quando anunciei minha gravidez, “Agora vocês começarão a ver o sentido da vida…”. Ele tem razão. E juntando isso com a licença-maternidade, os meses em casa sem ter com quem conversar o dia inteiro até o Dinho chegar do trabalho, os pensamentos voam e os questionamentos surgem.

Será que imigrar realmente é a melhor coisa a fazer? Apesar de sempre ter sonhado a vida toda em morar fora, agora que tenho a Nicole estou sentindo muito mais medo de ir. Sei que imigrar com criança é bem mais difícil. Contudo, é um paradoxo porque, exatamente por ela fazer parte da minha vida, sinto mais vontade de ir e dar-lhe melhores oportunidades de vida.

Aí, explicando o título do post, vem a parte mais difícil da história: o Dinho. Sei que, por estar jogando todas suas fichas nesse seu novo projeto, ele acredita que vai dar certo e, dando certo, o sonho dele se realiza e não precisaremos mais ir para o Canadá. Mesmo não dando certo, ele morre de medo de ir. É muito mais apegado à família e aos amigos e sabe que sofreria bem mais do que eu com a distância. Então, juntando tudo, ultimamente tenho me sentido num mato sem cachorro: se correr o bicho pega e se ficar o bicho come. Uma insegurança sem fim, medo de trocar o certo pelo duvidoso. Só que aqui, olhando pelo lado profissional, minha frustração continua e nada é tão certo assim. Não sei nem mesmo o que eu gostaria de fazer no trabalho, o que me faria feliz. Até que ponto o Canadá seria duvidoso?  

Ainda não sei o que fazer exatamente. Vou recomeçar as pesquisas, a leitura dos blogs (preciso atualizar os links) e do grupo de imigração. Tenho visto que muita coisa aconteceu neste 1 ano que fiquei afastada. Parabéns a todos que já conseguiram o visto, já estão no Canadá ou adiantados no processo. Desejo muita sorte e força na peruca a todos. Como hoje sei que o meu prazo é maior, vou fazendo as coisas com mais calma. Só não vou desistir.

E para terminar o post, vou apresentar a minha Nicole, a Nicky, luz da minha vida.

     

 

Beijos

 

Categorias: Canadá, Família, Pesquisas, Pessoal, Planejamento | 10 Comentários

Blog no WordPress.com.